Resenha: Rebecca Serle – Tocando As Estrelas

capatocandoestrelasrebeccaserle

Título do livro: Tocando as Estrelas
Autor (a): Rebecca Serle
Editora: Novo Conceito
Páginas: 224
Gênero: Ficção Norte-Americana; Amor; Humor; Drama
ISBN: 978-858-163-733-4
Nota: estrela estrela estrela estrela estrelavazia

 

 

Sinopse: 

Quando Paige Townsen deixa de ser uma simples aluna do ensino médio para se tornar uma celebridade, sua via muda do dia para a noite. Em menos de um mês, ela troca as ruas de sua cidade natal por um set de filmagens no Havaí e agora está “conhecendo melhor” um dos homens mais sexies do planeta – segundo a revista People. Tudo estaria perfeito se o problemático astro Jordan Wilder não fincasse o pé em uma das pontas desse triângulo cinematográfico. E Paige começa a acreditar que a vida, pelo menos para ela, imita a arte.

Resenha:

“Essa é uma verdade sobre o sucesso. Muita coisa muda, mas nem tudo. Você ainda tem dias de cabelo ruim. Amizades que se desfizeram não serão reparadas milagrosamente. E pessoas que não amavam você antes continuarão a não amar. Uma coisa que o sucesso não muda, não importa a que nível você chegue, são as coisas que já viraram passado.”

20170613_114123

Paige tem um sonho desde criança de ser atriz, porém nunca tinha levado tão a sério. Ela até tinha feito algumas peças de teatro, alguns comerciais, mas nada além disso.
Por ela ser menor de idade, isso também dificultava, porque a maioria dos testes era em outra cidade.
Até que um dia, na sua cidade Portland, começou um processo de seleção para um filme que ia ser baseado no livro Locked, o que sua melhor amiga era mega fã.
De início ela não deu muita bola, mas acabou indo, e passou no teste, para ser protagonista do filme, isso mesmo protagonista. Primeiro filme que ela fazia, como profissional já, e ela seria protagonista. Ela nem acreditava que o sonho se tornaria realidade.
E tudo na sua vida mudou de repente.
Eu ameii o livro, é um livro de leitura fluida, que você termina em um ou dois dias.
Tem triângulo amoroso, tem. Mas é um triângulo amoroso diferente, que a gente fica até na dúvida por qual casal torcer. Mas no final ela não decepciona na sua escolha.
E eu não sei porque mas imaginei que o Rainer como o ator Heath Ledger que fazia o protagonista Patrick Verona no filme 10 Coisas Que Eu Odeio Em Você.
Quem quer um livro leve para tirar daquela resseca literária, eu indico viu 1f609

Beijinhos e até a próxima 1f618

Anúncios

[Resenha de livro] Castro Alves – Espumas Flutuantes

20170128_034521

“Meu coração desmaia pensativo,

Cismando em tua rosa predileta.

Sou teu pálido amante vaporoso,

Sou teu Romeu… teu lânguido poeta!…

Sonho-te às vezes virgem…seminua…

Roubo-te um casto beijo à luz da lua…

– E tu és Julieta…”

– Primeiramente, quem é Castro Alves?

Um poeta baiano, que nasceu em 14 de março de 1847, e viveu apenas até 6 de julho de 1871.

Seu pai era culto, a mãe chamava-se Clélia Brasília, e seus irmãos também poetavam.

Nasceu no sertão baiano, da Bahia, seguiu para Pernambuco, a fim de candidatar-se ao curso na Faculdade do Recife.

Na época Castro fez-se príncipe da juventude, uma espécie de general de dezoito anos. Como se apaixonou pela atriz Eugênia, os seus versos também foram atraídos pelo teatro.

Depois, terminou o curso de direito em São Paulo, e veio em companhia de Eugênia Câmara.

O nome de Castro acabou na fachada da Academia de Direito da Piratininga, ao lado dos nomes de Fagundes Varela e Álvares de Azevedo.

Dizem que morreu de tuberculose aos 24 anos.

 

Minha opinião sobre o livro:

    Achei a leitura bem difícil e cansativa, por se tratar de uma linguagem muito antiga. Tem muita palavra que parece até que está errado pra nós hoje, mas antigamente se escrevia daquele jeito mesmo. Vou citar algumas delas: inda = ainda, fronte = frente, minh’alma = minha alma, coa = com a, enfim muitas outras palavras que no decorrer da leitura você vai vendo como era diferente a escrita naquela época.

Esse livro não é uma história de começo, meio e fim. É um livro com poesias, nenhuma poesia liga uma na outra, são ao todo 54 poesias.

Não sei se eu comecei pelo livro errado a ler Castro Alves, mas não achei tudo isso não, e olha que eu gosto de poesia, mas não me agradou.

Quero ler algum outro dele pra ver se eu mudo minha opinião, mas por enquanto é essa.

 

[Resenha de livro] Joel Rufino dos Santos – Robin Hood (O Salteador Virtuoso)

20170126_204550

Esse livro conta a história do nascimento da lenda Robin Hood, que na verdade é Robert Fitzooth.

Nasceu e viveu na Inglaterra, na floresta de Sherwood (distrito de Nottingham), no fim do século XII, durante o reinao de Ricardo I, Coração de Leão.

Ele não escolheu a vida que levou, porém para salvar seu país do novo rei que assumiu o cargo por traição do próprio irmão, ele teve que ser o que é.

Para conseguir mais ajuda, ele lutava com várias pessoas, e quando via que a pessoa era boa mesmo, convidava para fazer parte do seu bando.

Mas para fazer parte do seu bando, tinha que respeitar as seguintes regras:

. Jamais ficar do lado do mais forte.

. Tirar dos ricos para dar aos pobres.

. Nunca se omitir diante da injustiça.

. Nunca matar, a não ser em legítima defesa ou por vingança justa.

. Não se desligar de sua comunidade, sob qualquer pretexto.

. Respeitar o rei e em seu nome corrigir os erros e reparar as injustiças contra os pobres.

No decorrer da história narra toda a luta que ele teve para defender seu rei. Porém, me parece que esse livro é resumido, e faltou mais coisa nessa história.

A sorte que é que esse livro é pequeno, e a leitura é fluida e você consegue terminar em uma tarde, porque ela se torna cansativa.

Então, quem for ler (pelo menos essa edição), não crie muita expectativa, porque eu estava com muita, e me decepcionei.

[Resenha de livro] Ângela Aguiar – Uma Chance a Mais

20170126_103606

“Se esconder pode não ser a solução. Mas pode ser a única opção para um coração sofrido, evitar uma decepção.”

Fazia tempo que eu não chorava que nem criança com um livro. E é um livro que você lê em uma tarde.
Pode até ser um livro água com açúcar, mas que romance não é água com açúcar, me diz?
Nele conta a história de Elena, uma menina que conheceu uma pessoa muito especial na época da faculdade, mas o destino foi cruel com ela.
E com tão pouca idade teve que passar uma barra enorme, e seguir sua vida.
Porém, ela num dia que podia ser mais um dia terrível pra ela, ela encontra um anjo que a faz viver novamente tudo o que estava preso nela durante muitos anos.
Esse livro pode até uma bela de uma indireta de presente pra alguém que você conhece e que está cada vez mais se escondendo de tudo e de tudo, e deixando se matar por completo.

[Resenha de livro] Audrey Harte – Procurando o amor nos lugares errados #1

20170125_215327

“Algumas pessoas eram abençoadas com uma risada que poderia te aquecer como o calor de um fogão numa manhã fria de inverno.”

Olha, eu estou chocada como esse livro me surpreendeu, não estava apostando nada nele, nada mesmo.

Ele é um livro young adult, daqueles que te prendem, e você não consegue mais parar de ler enquanto não terminá-lo, e que você o termina em 1 dia.

Ele conta a história de Annie, que é uma garota de 25 anos, que mora em Los Angeles.

Cansada dos namoros dela nunca darem certo, ela então resolve seguir o conselhos dos amigos de se inscrevem em sites de relacionamentos. Ela demorou até aceitar essa ideia, porque ela tinha um pouco de medo de aparecer algum maluco. Mas enfim se inscreveu…

Quem nunca passou por essa mesma história né?

Mas como a gente fala quando não temos sorte nos relacionamentos, ela tem o famoso dedo podre. Então vocês já podem imaginar as emboscadas que ela se meteu né?

A autora descreveu tão bem as relações em que ela tinha, que eu só posso dizer, UAUUU!!

E eu já estou doida pra ler a continuação dessa história toda!!

[Resenha de livro] Richard Bach – Fernão Capelo Gaivota

17-01-21-19-35-49-783_deco

“Liberdade é a própria natureza de seu ser, que tudo que dificulte essa liberdade deve ser afastado para um lado, seja ritual, superstição ou limitação sob qualquer forma.”

Fernão Capelo Gaivota é uma parábola universal sobre liberdade.
As gaivotas tem um padrão de altura e velocidade em que elas podem voar, mas Fernão Capelo não aceitava e queria mais. Não entendia o porque ele tinha que ficar limitado a isso.
Quando o líder de seu bando descobriu que ele estava treinando para passar desse limite, e que ele conseguia fazer mais que isso, eles o isolaram do bando, e Fernão ficou sozinho.
Mas no decorrer dos dias, ele encontrou outras gaivotas que também pensavam igual a ele, e também foram isoladas de seus bandos.
Esse grupo começou a ficar tão conhecido, que mais gaivotas começaram a chegar para poder aprender como voão mais alto e mais rápido.
Fernão, acabou que criou um grupo de alunos com isso, e foi ensinando de que elas podem sim voar mais do que o padrão.
E pra que ser igual ao padrão se você pode ser melhor que ele, não é mesmo?
Esse é um tipo de livro que você lê em um dia apenas, com várias frases de motivação para você guardar.
Muito bom para dar aquele ânimo sabe?

[Resenha de livro] William Shakespeare – Sonho de uma noite de verão

17-01-20-15-51-09-528_deco

“Às vezes vale mais a emoção do silêncio do que um caloroso discurso. Na minha opinião, o amor e a simplicidade, mesmo falando menos, acabam dizendo mais…”

Primeiro livro do William Shakespeare que eu leio, curtinho mas com muitas mensagens para refletir.

Sonho de uma noite de verão, foi uma das primeiras produções de William Shakespeare. Uma obra escrita em forma de peça de teatro, assim como a obra de Nelson Rodrigues que eu li anteriorimente Vestido de Noiva (que vocês já encontram a resenha aqui). Porém, gostei mais dessa obra de William Shakespeare do que a de Nelson Rodrigues, a de Nelson Rodrigues achei meio sem nexo, não tem começo, meio e fim, como todas as histórias, e não trouxe mensagem nenhuma pra mim.

Nessa história William Shakespeare consegue misturar personagens gregos como:Hércules, Centauro, Helena, Vênus, com fadas, elfos e duendes, sem parecer uma coisa nada a ver.

Uma das melhores partes da história pra mim e mais divertida, é do bosque quando Puck (elfo da corte de Oberon), obedece as ordens de seu chefe Oberon para aplicar um feitiço no casal Demétrio e Helena, e ele confundi tudo, e acaba criando uma grande confusão.

Se você gosta de ler, não deixe de ler Shakespeare, todo mundo tem que ler Shakespeare uma vez na vida.

[Resenha de livro] Nelson Rodrigues – Vestido de Noiva

20170118_183834

Título do livro: Vestido de Noiva
Autor (a): Nelson Rodrigues
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 72
Gênero: Literatura brasileira, peça de teatro
ISBN: 85.209.1173-0

 

 

 

 

 

 

SINOPSE:

Tragédia de 1943, Vestido de noiva, uma das mais famosas peças de Nelson Rodrigues, é dividida e narrada em três planos: o da memória, o da alucinação e o da realidade. A história do casamento e da morte de Alaíde é contada por meio de colagens e variações temporais e espaciais, em que momentos de sua vida são mesclados com histórias de outros personagens.

RESENHA: 

Esse livro é uma peça de teatro, que conta sobre uma tragédia de duas mulheres. A peça é dividida em 3 planos: 1º plano – da alucinação, 2º plano – da memória e 3º plano – da realidade, contém 28 personagens.

Nelson Rodrigues descreve até como tem que ser a reação de cada personagem em suas falas, como tem que ser o cenário, tudo direitinho. Perfeito para quem quiser fazer essa peça, não tem como ter dúvidas.

No começo você fica um pouco confusa, sem entender direito as coisas, mas depois que a personagem vai lembrando do que aconteceu, você entende tudo, e vai imaginando exatamente como é pra ser as cenas e o que ocorreu.

A única coisa que eu posso contar, é que se trata dessa tragédia, porque senão eu conto toda a história, e perde a graça, aí vocês vão brigar comigo por ter dado spoiler.

Essa peça faz parte do teatro completo 1: peças psicológicas, que inclui:

  • A mulher sem pecado;
  • Vestido de noiva;
  • Valsa nº 6;
  • Viúva, porém honesta;
  • Anti-Nelson Rodrigues.

É uma história meio doida, daquelas que você termina em um dia a leitura, mas vale a pena sim.

[Resenha de livro] Clarice Lispector – Um Sopro de Vida

0001

Título do livro: Um Sopro de Vida

Autor (a): Clarice Lispector

Editora: Nova Fronteira

Páginas: 164

Gênero: Romance brasileiro

SINOPSE:

Este livro é sobre de um homem aflito que criou uma personagem, Angela Pralini, seu alter-ego. Mas ora ele não se reconhecia em Angela, porque ela era o seu avesso, ora odiava visceralmente o que via refletido naquela estranha personagem-espelho.

RESENHA:

“Por que é que tudo se diz: fica para a seman que vem? Eu estou aqui, aqui à espera. Vivo agora e o resto que vá para a puta que pariu.”

     O livro foi escrito em 1974, e concluído em 1977. Foi o úlimo livro da autora, e ela já o escrevia bem perto de sua morte, acredito que por isso ela deu esse nome ao livro.
Nesse livro, ela criou dois personagens, um dos personagens (Ângela), é criado pelo autor como seu amigo invisível.

     O autor, personagem sem nome e masculino criou essa personagem como um meio para não se sentir sozinho (o seu “eu” incosciente).
Os dois personagens são escritores.

    Nesse personagem (Ângela), o autor se vê, é como se fosse ele em uma versão feminina.

    Assim, o livro se divide entre um diário escrito pelo autor, e um diário escrito por Ângela.

    É incrivel como Clarice conseguia descrever tão bem as coisas e tudo o que ela descreve vira poesia.

    Se ela escrevesse hoje em dia, o livro dela seria censurado, porque tem palavrão. E engraçado, estamos em pleno século XII não é mesmo. E livros dela às vezes são solicitados para serem lidos na escola, imagina as mães o quanto falariam dos professores por pedirem um livro assim, que pode influenciar seus filhos. Porque hoje em dia tudo influencia né, não se pode falar mais nada, que você pode influenciar alguém.

    Mas é um livro ótimo, mesmo sendo um pouco confuso porque as histórias não se unem, não formam um livro com início, meio e fim.

[Resenha de livro] Jojo Moyes – Um Mais Um

16-09-30-11-30-50-316_deco

Título do livro: Um Mais Um
Autor (a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Gênero: Ficção inglesa e bullying
ISBN: 978-85-8057-654-2

 

SINOPSE:

Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.

Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olímpiada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?

Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã – que insiste em que ele vá visitar o pai doente -, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.

Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.

RESENHA: 

Um livro sobre: amor, amizade, superação, bullying  e esperança.

Cada capítulo é contado em terceira pessoa por um personagem do livro.

Jess é tipo aquele pai do seriado “Eu, a patroa e as crianças”, que tem dois empregos para sustentar a família sabe? Uma mulher daquelas batalhadoras de verdade, que faz tudo para conseguir ganhar um dinheiro honestamente.

Ed Nicholls, é aquele tipo de cara que quando você o conhece pela primeira vez, você já acha o cara mais chato do mundo.  Porque ele é o tipo de cara geek, que gosta de tudo em ordem e muito limpo. Ou seja, super exigente com organização e limpeza.

Tanzie, uma menina prodígio, apaixonada por matemática e pelo seu cachorro Norman, muito esperta.

Nicky é um pré-adolescente, gótico (daqueles que usa até maquiagem) e muito sensível, porém fechado quando tem falar sobre os seus sentimentos.

Só de saber um pouquinho sobre esses personagens você já percebe no que pode dar essa história né?

Mas pra mim o moral da história é que às vezes julgamos demais as pessoas, e o que pode ser um crime pra nós, às vezes teve algum motivo maior pra pessoa ter feito aquele “crime” e que pensando bem pode ser relevado. E que por isso sempre temos que ouvir os dois lados da história, para que a gente não saia por aí fazendo pré-julgamentos.

Esse foi o segundo livro da Jojo Moyes que eu li, mas dessa vez não achei tudo isso esse livro não. Mas vale a leitura!