[Resenha de livro] Joel Rufino dos Santos – Robin Hood (O Salteador Virtuoso)

20170126_204550

Esse livro conta a história do nascimento da lenda Robin Hood, que na verdade é Robert Fitzooth.

Nasceu e viveu na Inglaterra, na floresta de Sherwood (distrito de Nottingham), no fim do século XII, durante o reinao de Ricardo I, Coração de Leão.

Ele não escolheu a vida que levou, porém para salvar seu país do novo rei que assumiu o cargo por traição do próprio irmão, ele teve que ser o que é.

Para conseguir mais ajuda, ele lutava com várias pessoas, e quando via que a pessoa era boa mesmo, convidava para fazer parte do seu bando.

Mas para fazer parte do seu bando, tinha que respeitar as seguintes regras:

. Jamais ficar do lado do mais forte.

. Tirar dos ricos para dar aos pobres.

. Nunca se omitir diante da injustiça.

. Nunca matar, a não ser em legítima defesa ou por vingança justa.

. Não se desligar de sua comunidade, sob qualquer pretexto.

. Respeitar o rei e em seu nome corrigir os erros e reparar as injustiças contra os pobres.

No decorrer da história narra toda a luta que ele teve para defender seu rei. Porém, me parece que esse livro é resumido, e faltou mais coisa nessa história.

A sorte que é que esse livro é pequeno, e a leitura é fluida e você consegue terminar em uma tarde, porque ela se torna cansativa.

Então, quem for ler (pelo menos essa edição), não crie muita expectativa, porque eu estava com muita, e me decepcionei.

[Resenha de livro] William Shakespeare – Sonho de uma noite de verão

17-01-20-15-51-09-528_deco

“Às vezes vale mais a emoção do silêncio do que um caloroso discurso. Na minha opinião, o amor e a simplicidade, mesmo falando menos, acabam dizendo mais…”

Primeiro livro do William Shakespeare que eu leio, curtinho mas com muitas mensagens para refletir.

Sonho de uma noite de verão, foi uma das primeiras produções de William Shakespeare. Uma obra escrita em forma de peça de teatro, assim como a obra de Nelson Rodrigues que eu li anteriorimente Vestido de Noiva (que vocês já encontram a resenha aqui). Porém, gostei mais dessa obra de William Shakespeare do que a de Nelson Rodrigues, a de Nelson Rodrigues achei meio sem nexo, não tem começo, meio e fim, como todas as histórias, e não trouxe mensagem nenhuma pra mim.

Nessa história William Shakespeare consegue misturar personagens gregos como:Hércules, Centauro, Helena, Vênus, com fadas, elfos e duendes, sem parecer uma coisa nada a ver.

Uma das melhores partes da história pra mim e mais divertida, é do bosque quando Puck (elfo da corte de Oberon), obedece as ordens de seu chefe Oberon para aplicar um feitiço no casal Demétrio e Helena, e ele confundi tudo, e acaba criando uma grande confusão.

Se você gosta de ler, não deixe de ler Shakespeare, todo mundo tem que ler Shakespeare uma vez na vida.