Resenha: O Dom De Voar, Richard Bach

odomdevoar

Título do livro: O Dom De Voar
Autor (a): Richard Bach
Editora: Grupo Editorial Record
Ano: 1976
Edição: 2ª edição
Páginas: 330
ISBN: 9788501008565
Gênero: Aviação, Aventura, Não-ficção
Nota: estrelaestrelaestrelavaziaestrelavaziaestrelavazia

 

 

“Um cara não tem  a menor chance de alcançar o seu objetivo se não aprender a encontrar sozinho a sua sustentação.”

Sinopse:

Este livro mostra os pontos capitais de 15 anos de vida de Richard Bach, que começou a escrever depois de aprender a voar. Desde que ele escreve sobre o que mais lhe interessa, tudo em O DOM DE VOAR se refere ao seu mundo especial da aviação. Mas o mundo da aviação não se relaciona apenas com decolagens, pousos e funcionamento dos motores.

“Voar é minha religião”, diz Richard Bach, “é a maneira que tenho de descobrir a verdade”.

A verdade é que todos os pensamentos e atos de Richard Bach em suas reminiscências levam, de forma lógica, aos temas desenvolvidos em Fernão Capelo Gaivota. Tudo em O DOM DE VOAR contribui para a compreensão da alegria e do sentido do voo ou ilustra aquele ingrediente especial de aventura, liberdade, descoberta, perfeição e inspiração de que Richard Bach impregnava sua vida e sua obra.

Da leitura deste livro, fica sabendo certamente porque voar é tão importante para o autor. Poder-se-á partilhar de suas experiências no ar como as pessoas especiais que são seus amigos no mundo da aviação e se compreenderá a dedicação com que ele se esforça por voar… e viver melhor.

Ele mesmo explica a sua posição: “Fossem quais fossem as tristezas, as alegrias ou as fantasias que me ocorriam enquanto eu voava, tornaram-se estórias e artigos em vez de páginas de um jornal. Quando comprei minha primeira máquina de escrever, fiz a promessa de que jamais escreveria sobre aquilo que não me interessasse, que não representasse alguma diferença em minha vida, e tenho chegado muito perto do cumprimento dessa promessa”.

“Dizem alguns que a vida nada mais é do que a oportunidade de conquistar o medo e que todo medo faz parte do medo da morte.”

Resenha:

É muito difícil falar de um livro que você não gostou, tem que ter muito cuidado com as palavras.

Eu já tinha lido “Fernão Capelo Gaivota” do Richard Bach, e gostei, tem até resenha dele aqui no blog já. Mas esse realmente não deu pra mim.

Senti nesse livro, que foi uma biografia das aventuras que ele teve no mundo da aviação.

Tem muito termo técnico de pilotos, que a gente que não entende fica “boiando”.

Esse livro é mais para o pessoal que pilota aviões, que é comissário de bordo, que trabalha com isso. Foi o isso o que senti pelo menos.

Mas faz parte, nem todos os livros que lemos, nós vamos gostar.

[Resenha de livro] Richard Bach – Fernão Capelo Gaivota

17-01-21-19-35-49-783_deco

“Liberdade é a própria natureza de seu ser, que tudo que dificulte essa liberdade deve ser afastado para um lado, seja ritual, superstição ou limitação sob qualquer forma.”

Fernão Capelo Gaivota é uma parábola universal sobre liberdade.
As gaivotas tem um padrão de altura e velocidade em que elas podem voar, mas Fernão Capelo não aceitava e queria mais. Não entendia o porque ele tinha que ficar limitado a isso.
Quando o líder de seu bando descobriu que ele estava treinando para passar desse limite, e que ele conseguia fazer mais que isso, eles o isolaram do bando, e Fernão ficou sozinho.
Mas no decorrer dos dias, ele encontrou outras gaivotas que também pensavam igual a ele, e também foram isoladas de seus bandos.
Esse grupo começou a ficar tão conhecido, que mais gaivotas começaram a chegar para poder aprender como voão mais alto e mais rápido.
Fernão, acabou que criou um grupo de alunos com isso, e foi ensinando de que elas podem sim voar mais do que o padrão.
E pra que ser igual ao padrão se você pode ser melhor que ele, não é mesmo?
Esse é um tipo de livro que você lê em um dia apenas, com várias frases de motivação para você guardar.
Muito bom para dar aquele ânimo sabe?