Resenha: O Som do Amor, Jojo Moyes

capaosomdoamor

 

Título do livro: O Som do Amor
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Gênero: Literatura estrangeira, drama. romance
Nota: estrelaestrelaestrelavaziaestrelavaziaestrelavazia

 

 

Sinopse:

Matt e Laura McCarthy são obcecados pela ideia de herdar a Casa Espanhola — uma construção malcuidada e quase em ruínas no condado de Norfolk, interior da Inglaterra, que tem um valor simbólico para os moradores locais. Para atingir esse objetivo, Laura, a mando do marido, faz todas as vontades do velho Sr. Pottisworth, o proprietário. Entretanto, como o homem nunca deixou nada por escrito, quem acaba por herdar a casa é uma parente distante, Isabel Delancey.
Primeiro violino na Orquestra Sinfônica Municipal, em Londres, Isabel tinha uma vida tranquila com seus dois filhos e o marido, mas tudo virou de cabeça para baixo quando ele morreu em um acidente de carro e deixou uma grande dívida. Sua única oportunidade de recomeço é fincar moradia na Casa Espanhola — algo que o casal McCarthy vai tentar impedir a qualquer custo.

Resenha:

Em O Som do Amor, Jojo Moyes conta a história de uma casa que muitos são obcecados em ter, que é a Casa Espanhola, como é chamada.

Nessa casa vivia o Sr. Pottisworth, que por muitos anos largou a casa de mão, viveu em apenas um cômodo da casa e apenas esse cômodo ele deu uma arrumada.

Matt e Laura McCarthy se propôs a fazer todas as vontades do Sr. Pottisworth para herdar a casa.

Como ninguém achou o testamento, a casa acabou ficando com Isabel Delancey, que é sobrinha neta do Sr. Pottisworth.

Isabel acabará de perder o marido em um acidente de carro, e viu a oportunidade de recomeçar a vida longe de tudo o que lembrava o marido. Porém, como fazia tempo que ela não ia nessa casa, ela não lembrava que a casa estava tão ruim, precisando de tantas reformas.

Como Isabel não conhecia ninguém na região, ela acabou fazendo os serviços de reforma com Matt, que se dizia corretor imobiliário.

Desde então, sua vida vira de ponta cabeça por causa dessa reforma.

Vocês puderam perceber que dei nota 2 para o livro, infelizmente eu dei essa nota. Porque esse livro é muito parado, por várias vezes tive vontade de abandonar o livro. Mas eu não gosto de abandonar um livro, mesmo não gostando dele eu vou até o final, porque às vezes o final tem uma reviravolta que te faz mudar de ideia. O que não foi o caso desse livro. Eu até acabei me emocionando em uma parte bem no final, mas não mudou minha opinião sobre.

Pelo que eu andei olhando no Skoob, muitas pessoas também não gostaram e algumas chegaram a abandonar, fico mais tranquila por saber que o problema não é só comigo.

Quem já leu esse livro, gostou ou não gostou?

Anúncios

Resenha: Um Mais Um, Jojo Moyes

16-09-30-11-30-50-316_deco

Título do livro: Um Mais Um
Autor (a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Gênero: Ficção inglesa e bullying
ISBN: 978-85-8057-654-2

 

SINOPSE:

Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.

Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olímpiada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?

Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã – que insiste em que ele vá visitar o pai doente -, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.

Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.

RESENHA: 

Um livro sobre: amor, amizade, superação, bullying  e esperança.

Cada capítulo é contado em terceira pessoa por um personagem do livro.

Jess é tipo aquele pai do seriado “Eu, a patroa e as crianças”, que tem dois empregos para sustentar a família sabe? Uma mulher daquelas batalhadoras de verdade, que faz tudo para conseguir ganhar um dinheiro honestamente.

Ed Nicholls, é aquele tipo de cara que quando você o conhece pela primeira vez, você já acha o cara mais chato do mundo.  Porque ele é o tipo de cara geek, que gosta de tudo em ordem e muito limpo. Ou seja, super exigente com organização e limpeza.

Tanzie, uma menina prodígio, apaixonada por matemática e pelo seu cachorro Norman, muito esperta.

Nicky é um pré-adolescente, gótico (daqueles que usa até maquiagem) e muito sensível, porém fechado quando tem falar sobre os seus sentimentos.

Só de saber um pouquinho sobre esses personagens você já percebe no que pode dar essa história né?

Mas pra mim o moral da história é que às vezes julgamos demais as pessoas, e o que pode ser um crime pra nós, às vezes teve algum motivo maior pra pessoa ter feito aquele “crime” e que pensando bem pode ser relevado. E que por isso sempre temos que ouvir os dois lados da história, para que a gente não saia por aí fazendo pré-julgamentos.

Esse foi o segundo livro da Jojo Moyes que eu li, mas dessa vez não achei tudo isso esse livro não. Mas vale a leitura!