Resenha: Sagarana, João Guimarães Rosa

Título do livro: Sagarana
Autor: João Guimarães Rosa
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 416
Gênero: Literatura brasileira, novelas brasileiras, contos
Nota: 

Onde comprar: Essa versão já não está mais disponível para comprar, mas tem essas versões Sagarana – Coleção 50 AnosEdição em tons pastéis de capa dura e Ficção Completa – Caixa Exclusiva

Sinopse:

Nove contos que revolucionaram a literatura regionalista no Brasil. Em histórias como “O burrinho pedrês”, “Corpo fechado” e “A hora e vez de Augusto Matraga”, o sertão mineiro cria vida na linguagem mágica inventada pelo gênio de Guimarães Rosa.

Resenha:

Nunca dei uma nota tão baixa pra um livro. Mas sempre tem a primeira vez não é mesmo?
E infelizmente foi com essa obra consagradíssima de João Guimarães Rosa.
Tenho essa edição desde 2001 pelo que está escrito nas informações do livro, ou seja, eu ainda estava no colégio quando comprei essa edição (me formei na faculdade em 2012).
Foi o único livro da época do colégio que sobrou dessa época, porque os outros eu ia emprestando pra quem ia precisando depois de mim.
Esse livro como já fala na sinopse, não é uma estória contínua, ele é dividido em nove contos. Sendo eles: “O Burrinho Pedrês”, “A Volta do Menino Pródigo”, “Sarapalha”, “Duelo”, “Minha Gente”, “Corpo Fechado”, “Conversa de Bois” e “A Hora e Vez de Augusto Matraga”.
Tive vontade de abandonar a leitura várias vezes, mas como eram contos, então dei continuidade, porque eu poderia gostar de algum conto do livro. Isso, infelizmente não aconteceu.
A leitura é muito devagar, tem muito vocabulário do sertão mesmo, e não é só nos diálogos, nas narrativas também.
Toda página você tem que ir ao dicionário pra procurar uma palavra que você não conhece, até tirei foto uma vez aqui no stories perguntando se vocês tem costume de anotar em livros, aquilo tudo que estava anotado era palavra que eu não conhecia (está nos destaques, em “Enquetes”).
Pra mim não é uma leitura que você tira algum proveito, tanto que tem um dos contos é “Conversa de Bois”.
Mas é uma leitura obrigatória né.
Me contém aí nos comentários se quando vocês leram, vocês gostaram ou não desse livro.

Anúncios