Resenha: Triste Fim de Policarpo Quaresma, Lima Barreto

 

Título do livro: Triste Fim de Policarpo Quaresma (Série Prazer em Ler)
Autor: Lima Barreto
Editora: Edições Câmara
Páginas: 207
Gênero: Literatura brasileira, história
ISBN: 9788540206328
Nota: 

Onde comprar: Box Série Prazer em Ler e Livro avulso

 

 

Sinopse: Sátira impiedosa do Brasil oficial, Triste Fim de Policarpo Quaresma narra o destino tragicômico de um nacionalista ingênuo e idealista, completamente alucinado pela ideia de fazer do Brasil um país grandioso. Para isso, ele bola estratégias amalucadas, prega o retorno do tupi-guarani e insiste em redigir documentos oficiais nessa língua. Com uma narrativa leve e cômica, recheada de críticas a vários aspectos da sociedade, a obra faz uma descrição política do Brasil da Primeira República, enfocando fatos históricos do governo de Floriano (1891 – 1894), e traça um rico painel social e humano dos subúrbios cariocas na virada do século. Considerado expoente do Pré-Modernismo brasileiro, Triste Fim de Policarpo Quaresma é uma história farsesca e extremamente divertida.

 

Resenha:

Finalmente consegui conhecer esse clássico da literatura brasileira, não consegui lembrar se já li na época de escola. Mas também não lembraria mais da estória, teria que reler mesmo. Até porque quando lemos esses clássicos na época de escola, não temos uma boa cabeça para entender realmente tudo, ainda mais que somos forçados a ler em uma época que não gostamos desse tipo de literatura.

Bom, esse livro se passa na época da Guerra dos Revoltosos, em 1926 mais ou menos (caso você não se recorde dessa parte da História, aconselho você a ler sobre aqui nesse link).

Não consegui fluir com essa leitura, foi bem arrastada, um livro de duzentas páginas mais ou menos, termino em uma semana. Comecei a ler esse livro dia 25/04 e terminei na madrugada do dia 11/04 pro dia 12/04, pra mim é bastante tempo.

Mas com esse livro a gente consegue ver que os males do Brasil não mudaram nada, absolutamente nada (isso pra mim é muito triste).

Tem um pontos que eu não posso comentar, que se eu falar aqui vou soltar um spoiler, apesar do livro ser muito antigo, pode ter sempre alguém que não leu (como eu ainda não tinha lido). Achei que alguns momentos aconteceram do nada, sem explicações, não teve um enredo até isso acontecer.

Porém, mesmo que para mim a leitura não tenha sido tão boa, nunca vou deixar de recomendar o livro. Porque eu posso não gostar, mas sempre tem alguém que gosta.

Se você já leu, conte o que achou aqui nos comentários ;*)

Anúncios

Resenha: As Palavras, Clarice Lispector

As Palavras

Título do livro: As Palavras
Autora: Clarice Lispector
Curadoria: Roberto Corrêa dos Santos
Editora: Rocco
Páginas: 312
Gênero: Literatura brasileira, miscelânea, frases, quotes.
Nota: estrelaestrelaestrelaestrelaestrelavazia

Onde comprar: Amazon

 

Sinopse:

Autora ao mesmo tempo mais popular e mais respeitada do país, Clarice Lispector está presente na web com mais de dois milhões de entradas no Google. Seus textos e pensamentos circulam pela rede angariando novos leitores a cada dia. Com As palavras, a Rocco atende a demanda de leitores ávidos por pensamentos de referência do universo clariceano, respeitando a soberania verbal, plástica, afetiva, filosófica, poética e artística da autora. Organizada pelo pesquisador e professor da UERJ Roberto Correa dos Santos, a coletânea traça um percurso amoroso pelas frases mais marcantes deixadas pela escritora.

Resenha:

Esse não um livro que conta uma história ou estória qualquer, é um livro que tem o conjunto de frases marcantes da Clarice Lispector. Isso mesmo, um livro só com quotes.

E porquê fizeram esse livro sendo que tem tudo na internet?

Não sei se vocês lembram, mas teve uma época em que tinha um monte de frase que o povo inventava e colocava que foi a Clarice Lispector que escreveu.

Então, como Clarice já estava cansada de escreverem frases e colocarem o nome dela, sendo que não tinha sido ela que escreveu. Então, com a ajuda de Roberto Corrêa dos Santos, ela fez e O Tempo para as pessoas não terem mais dúvidas de que tal frase foi escrita por ela.

Tem frases sobre tudo, mas sobre tudo mesmoooo!!!

Duas curiosidades que eu descobri lendo essas frases: Clarice era vegetariana/vegana (não deu pra ter certeza de qual dos dois) e ela não tinha religião, acreditava apenas em Deus, mas não em religião.

E como é um livro de frases, é super rápido de ler.

Se você gosta de colocar sempre uma frase nas suas fotos como legenda, esse livro é um prato muito, mas muito cheio pra você e pelo menos você não vai pagar mico escrevendo que foi Clarice Lispector a autora de alguma frase.

Resenha: É Inverno, Cecília Mouta

Título do livro: É Inverno
Autora: Cecília Mouta
Editora: Chiado Editora
Páginas: 346
Gênero: Literatura brasileira, ficção, romance e drama.
Nota: 

Onde comprar: Livraria Cultura

 

Sinopse:

Izzy é fascinada pela neve, o inverno é sua estação do ano preferida. Todos os dias, na escola, ela se diverte com seus melhores amigos: Lil, Sam e Mat. Porém, Lil sofre de pesadelos e toda vez que os tem, algo ruim acontece em seguida.

Naquele ano o inverno estava diferente, intenso. E, certo dia, Lil tem um pesadelo que muda completamente a vida dos quatro amigos. Os episódios seguintes levam o leitor a viver momentos emocionantes nas descobertas que Izzy faz sobre a própria vida. Até que chega o momento crucial em que ela tem que fazer uma escolha que poderá colocar um ponto final em toda a sua história até ali, inclusive na amizade com sua melhor amiga Lil.

Resenha:

É Inverno é narrado pela Izzy, uma personagem de nove anos.

Izzy é uma garotinha muito esperta e curiosa, tudo ela quer saber o significado e o porquê.

Ela é tão apaixonada pelo inverno, pela neve, que seu pai a chama de Flocus. Um dia ela pergunta à seu pai o porquê ele a chama de Flocus, é tão emocionante, que a gente fica com os olhos igual aquele emoji, com coraçãozinho nos olhos nessa parte.

A estória tem várias reviravoltas, é triste, mostra como é difícil a superer a perda de uma pessoa muito querida.

Quem conseguir entender a mensagem, vai se emocionar bastante com esse livro.

Pra quem gosta de quotes, esse livro é um prato cheio. Uma das quotes é essa aqui: “Momentos tristes mudam a gente, mas não deixe a vida ganhar um significado diferente o bastante para você não se reconhecer mais.”

Apesar de ter 346 páginas, é uma leitura bem fluída, eu li em uma semana, mas tenho certeza que poderia ter lido em menos do que isso.

Indico para todos esse livro, principalmente àqueles que já perderam um ente querido.

 

Resenha: Sagarana, João Guimarães Rosa

Título do livro: Sagarana
Autor: João Guimarães Rosa
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 416
Gênero: Literatura brasileira, novelas brasileiras, contos
Nota: 

Onde comprar: Essa versão já não está mais disponível para comprar, mas tem essas versões Sagarana – Coleção 50 AnosEdição em tons pastéis de capa dura e Ficção Completa – Caixa Exclusiva

Sinopse:

Nove contos que revolucionaram a literatura regionalista no Brasil. Em histórias como “O burrinho pedrês”, “Corpo fechado” e “A hora e vez de Augusto Matraga”, o sertão mineiro cria vida na linguagem mágica inventada pelo gênio de Guimarães Rosa.

Resenha:

Nunca dei uma nota tão baixa pra um livro. Mas sempre tem a primeira vez não é mesmo?
E infelizmente foi com essa obra consagradíssima de João Guimarães Rosa.
Tenho essa edição desde 2001 pelo que está escrito nas informações do livro, ou seja, eu ainda estava no colégio quando comprei essa edição (me formei na faculdade em 2012).
Foi o único livro da época do colégio que sobrou dessa época, porque os outros eu ia emprestando pra quem ia precisando depois de mim.
Esse livro como já fala na sinopse, não é uma estória contínua, ele é dividido em nove contos. Sendo eles: “O Burrinho Pedrês”, “A Volta do Menino Pródigo”, “Sarapalha”, “Duelo”, “Minha Gente”, “Corpo Fechado”, “Conversa de Bois” e “A Hora e Vez de Augusto Matraga”.
Tive vontade de abandonar a leitura várias vezes, mas como eram contos, então dei continuidade, porque eu poderia gostar de algum conto do livro. Isso, infelizmente não aconteceu.
A leitura é muito devagar, tem muito vocabulário do sertão mesmo, e não é só nos diálogos, nas narrativas também.
Toda página você tem que ir ao dicionário pra procurar uma palavra que você não conhece, até tirei foto uma vez aqui no stories perguntando se vocês tem costume de anotar em livros, aquilo tudo que estava anotado era palavra que eu não conhecia (está nos destaques, em “Enquetes”).
Pra mim não é uma leitura que você tira algum proveito, tanto que tem um dos contos é “Conversa de Bois”.
Mas é uma leitura obrigatória né.
Me contém aí nos comentários se quando vocês leram, vocês gostaram ou não desse livro.

Resenha: Arco-íris de Nove Cores, Any Palin

Título do livro: Arco-íris de Nove Cores
Autora: Any Palin
Editora: Chiado Editora
Páginas: 270
Gênero: Autobiografia, biografia e memórias
Nota: 

Onde comprar: Amazon

 

Sinopse:

Any era uma criança quando recebeu a sentença de que viveria no máximo oito anos. Ainda pequena a vida iria lhe mostrar, através de muitos infortúnios, que mais do que as sete cores que compõem o Arco-íris, haveriam outras duas que o completariam realmente.

Descobriu uma vida em preto e branco, mas não estava disposta a caminha sem cores. Ela via todas as cores do mundo considerano outros pontos de vista e tendo fé. Aprendeu que paciência e resiliência são sábios companheiros e que nesta viagem, todo mundo tem de buscar seu próprio Arco-íris, e mais importante que isso, aprender a viver com esse Arco-íris de nove cores. Entre no mundo de Any e descubra como ela conseguiu.

 

Resenha:

Esse livro é um livro auto-biográfico, mas aí você pode se perguntar, o que uma pessoa que não é famosa fez de tão importante ou tem de importante de sua para escrever e contar?

Any Palin tem muita coisa para contar e ensinar pra gente sim!

Tem uma história de vida difícil, e no livro ela conta como ela aprendeu a lidar com tudo o que foi acontecendo na vida dela e na vida da família.

Porque não é “só” a doença dela, tem muitos outros problemas que a família enfrenta, problemas pesados.

Com esse livro ela me fez refletir em um ponto que todo mundo está cansado de saber, mas não muda o pensamento, que a gente reclama de barriga cheia, que devemos olhar para os outros sem julgar, porque não sabemos o que ele passa dentro de casa, ou suas dores.

Any, no final do livro você fala que queria ter o dom da palavra, de tocar o coração das pessoas. Pode ter certeza que quem lê esse livro foi tocado com a sua história de vida, foi tocado com a sua palavra. Porque pra mim você realmente me tocou!

O livro é tão fluido que eu li em 3 dias apenas, nunca li um livro tão rápido assim. Então eu indico para todo mundo esse livro SIM!!!

Resenha: Anjo Maldito #1, Daniel Marx

capaanjomaldito

Título do livro: Anjo Maldito #1
Trilogia: Viagens na Ficção
Autor: Daniel Marx
Editora: Chiado Editora
Páginas: 332
Gênero: Literatura nacional, ficção policial, fantasia, terror
Nota:

estrela

estrela

estrela

estrela

estrelavazia

Sinopse:

“E disse Deus, haja luz, e houve luz, e viu Deus que tudo que havia feito era bom.
E fez o homem e viu que não era bom que o homem vivesse só, e fez para si uma companheira, carne de sua carne e seu nome era Eva…”

A história, porém não foi bem assim, pois Eva não foi a primeira esposa de Adão, a história que os religiosos sempre procuraram omitir da humanidade está a ponto de vir a tona.

Lilith a primeira humana criada por Deus, mas não da carne de Adão, se revolta e não se submete ao homem e nem ao seu criador, é expulsa do paraíso e promete vingança, foi até o submundo e fez um pacto com o príncipe do inferno, e após milhares de anos ela está pronta para reivindicar o que diz ser seu por direito. Lilith se intitula a rainha do mundo e considera todos os homens seus lacaios, e todas as mulheres suas escravas.

Um portal está prestes a se abrir e o mundo nunca mais será o mesmo, grandes sinais começam a aparecer em todo o mundo e não seria diferente no Brasil.

Uma sociedade secreta trabalha para abrir o caminho entre o mundo paralelo e o nosso. São portadores de grandes segredos: uma estrela, cinco pontas, cinco almas, cinco templos, cinco religiões, cinco mortes. Para que essas mortes aconteçam, e se cumpra a profecia, muitas outras vidas serão perdidas.

Outra mulher com um dom especial trabalhará para evitar que o mundo pereça na escuridão. Elisabeth, uma detetive do departamento de polícia civil de São Paulo empenha todos os seus esforços para deter os assassinatos, porém não imagina o que está por vir, ela pensou que estava a procura de mais um assassino serial, quando na verdade estava diante de um grande e maligno poder obscuro e caberá a ela deter este ser que está prestes a escravizar a humanidade.

Resenha:

Trago para vocês hoje, um livro diferente, pelo menos diferente pra mim, pois nunca tinha lido nada igual.

Anjo Maldito, é o primeiro volume da Trilogia Viagens na Ficção. Trata-se de uma fantasia, misturada com ficção policial, com terror, suspense, mistério e com serial killer.

Só com esses gêneros vocês já podem o quão tenso é esse livro né?

A história se passa na cidade de São Paulo, com um grupo de policiais tendo investigar um mistério envolvendo mortes de pessoas em igrejas.

É tão assustador essas mortes, o autor detalha tão bem as cenas, que você consegue imaginar as cenas, entrar na história mesmo e, chega a dar medo, você termina de ler o livro com uma tensão que só quem ler ou quem leu pode falar.

Para quem gosta de uma ficção policial, uma boa fantasia, um bom terror, eu indico muito. Porque se eu que não tenho costume de ler esse gênero de livro gostei, é porque é bom mesmo.

Resenha: Uma Vez Você, Uma Vez Eu, Diego Martello

 

Título do livro: Uma Vez Você, Uma Vez Eu
Autor: Diego Martello
Editora: Novo Século
Páginas: 184
Gênero: Literatura brasileira, ficção brasileira, ficção
Nota: 

 

 

Sinopse:

Marcos e Willian, pai e filho, tentam se reconciliar após anos de desentendimento. Em paralelo, Eva, mulher de Willian, quer a todo custo engravidar e não consegue, o que frustra o casal.
A partir da visão do interior de cada um, esses personagens terão de reconfigurar o modo de pensar para enfrentar os seus conflitos.
Nessa fase tão conturbada para todos, reflexões acompanham cada segundo da trajetória deles.
Narrada de forma surpreendente, provocativa e crítica, esta obra não tem a pretensão de apresentar soluções para os problemas enfrentados, mas, sim, mostrar as armadilhas de nosso fluxo de consciência, para compreendermos que as soluções dos problemas dependem, muitas vezes, da forma como se lida com as ilusões, ou, ao contrário, como se enxerga verdadeiramente a realidade.

Resenha:

Willian é aquele tipo de pessoa que podemos chamar de mimado, não por ter tudo de forma material e sim por sempre ter segurança somente quando os pais estão por perto. Aquele tipo de pessoa que vive apenas por viver, não tem um objetivo de vida.

Marcos já é o tipo de pessoa que a partir de um ensinamento de um chefe, acabou entendendo que para viver necessitamos de um objetivo de vida, senão estamos aqui inutilmente. Também dono da D&D.

No passado Willian e Marcos enfrentaram desentendimentos pesados na frente de muitas pessoas que trabalhavam com eles. Com isso carregaram esse “problema” por muitos, atrapalhando a relação de pai e filho.

Uma Vez Você, Uma Vez Eu“, é um livro rápido de ler, mas muito reflexivo.

Tem 184 páginas, mas pensa em uma pessoa que quase marcou o livro todo com as quotes que mais gostou, tem mais de 20 marcações.

Como é um livro bem reflexivo, pra você enfrentar seus medos, entre outras reflexões, pra começar o ano de 2018 foi uma ótima escolha.

Tenho certeza que muitas pessoas vão gostar dele.