Resenha: Sagarana, João Guimarães Rosa

Título do livro: Sagarana
Autor: João Guimarães Rosa
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 416
Gênero: Literatura brasileira, novelas brasileiras, contos
Nota: 

Onde comprar: Essa versão já não está mais disponível para comprar, mas tem essas versões Sagarana – Coleção 50 AnosEdição em tons pastéis de capa dura e Ficção Completa – Caixa Exclusiva

Sinopse:

Nove contos que revolucionaram a literatura regionalista no Brasil. Em histórias como “O burrinho pedrês”, “Corpo fechado” e “A hora e vez de Augusto Matraga”, o sertão mineiro cria vida na linguagem mágica inventada pelo gênio de Guimarães Rosa.

Resenha:

Nunca dei uma nota tão baixa pra um livro. Mas sempre tem a primeira vez não é mesmo?
E infelizmente foi com essa obra consagradíssima de João Guimarães Rosa.
Tenho essa edição desde 2001 pelo que está escrito nas informações do livro, ou seja, eu ainda estava no colégio quando comprei essa edição (me formei na faculdade em 2012).
Foi o único livro da época do colégio que sobrou dessa época, porque os outros eu ia emprestando pra quem ia precisando depois de mim.
Esse livro como já fala na sinopse, não é uma estória contínua, ele é dividido em nove contos. Sendo eles: “O Burrinho Pedrês”, “A Volta do Menino Pródigo”, “Sarapalha”, “Duelo”, “Minha Gente”, “Corpo Fechado”, “Conversa de Bois” e “A Hora e Vez de Augusto Matraga”.
Tive vontade de abandonar a leitura várias vezes, mas como eram contos, então dei continuidade, porque eu poderia gostar de algum conto do livro. Isso, infelizmente não aconteceu.
A leitura é muito devagar, tem muito vocabulário do sertão mesmo, e não é só nos diálogos, nas narrativas também.
Toda página você tem que ir ao dicionário pra procurar uma palavra que você não conhece, até tirei foto uma vez aqui no stories perguntando se vocês tem costume de anotar em livros, aquilo tudo que estava anotado era palavra que eu não conhecia (está nos destaques, em “Enquetes”).
Pra mim não é uma leitura que você tira algum proveito, tanto que tem um dos contos é “Conversa de Bois”.
Mas é uma leitura obrigatória né.
Me contém aí nos comentários se quando vocês leram, vocês gostaram ou não desse livro.

Anúncios

Resenha: Arco-íris de Nove Cores, Any Palin

Título do livro: Arco-íris de Nove Cores
Autora: Any Palin
Editora: Chiado Editora
Páginas: 270
Gênero: Autobiografia, biografia e memórias
Nota: 

Onde comprar: Amazon

 

Sinopse:

Any era uma criança quando recebeu a sentença de que viveria no máximo oito anos. Ainda pequena a vida iria lhe mostrar, através de muitos infortúnios, que mais do que as sete cores que compõem o Arco-íris, haveriam outras duas que o completariam realmente.

Descobriu uma vida em preto e branco, mas não estava disposta a caminha sem cores. Ela via todas as cores do mundo considerano outros pontos de vista e tendo fé. Aprendeu que paciência e resiliência são sábios companheiros e que nesta viagem, todo mundo tem de buscar seu próprio Arco-íris, e mais importante que isso, aprender a viver com esse Arco-íris de nove cores. Entre no mundo de Any e descubra como ela conseguiu.

 

Resenha:

Esse livro é um livro auto-biográfico, mas aí você pode se perguntar, o que uma pessoa que não é famosa fez de tão importante ou tem de importante de sua para escrever e contar?

Any Palin tem muita coisa para contar e ensinar pra gente sim!

Tem uma história de vida difícil, e no livro ela conta como ela aprendeu a lidar com tudo o que foi acontecendo na vida dela e na vida da família.

Porque não é “só” a doença dela, tem muitos outros problemas que a família enfrenta, problemas pesados.

Com esse livro ela me fez refletir em um ponto que todo mundo está cansado de saber, mas não muda o pensamento, que a gente reclama de barriga cheia, que devemos olhar para os outros sem julgar, porque não sabemos o que ele passa dentro de casa, ou suas dores.

Any, no final do livro você fala que queria ter o dom da palavra, de tocar o coração das pessoas. Pode ter certeza que quem lê esse livro foi tocado com a sua história de vida, foi tocado com a sua palavra. Porque pra mim você realmente me tocou!

O livro é tão fluido que eu li em 3 dias apenas, nunca li um livro tão rápido assim. Então eu indico para todo mundo esse livro SIM!!!

Resenha: A Desconhecida, Peter Swanson

Título do livro: A Desconhecida
Autor: Peter Swanson
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Gênero: Literatura estrangeira, suspense e mistério.
Nota: 

Onde comprar: Amazon

 

Sinopse:

Em uma noite de sexta-feira, a rotina confortável e previsível de George Foss é quebrada quando, em um bar, uma bela mulher senta-se ao seu lado. A mesma mulher que desaparecera sem deixar vestígios vinte anos atrás.
Agora, depois de tanto tempo, ela diz precisar de ajuda e George parece ser o único capaz de salvá-la. Será que ele a conhece o suficiente para poder ajudá-la?

Resenha:

George tem 40 anos e trabalha em uma revista literária em Boston. Ele acredita já ter passado da idade de se apaixonar novamentr ou de fazer alguma coisa notável.
Não sei porque, mas enxerguei o George como Bradley Cooper.
Liana Decter não é apenas uma ex-namorada, é a paixão que George nunca esqueceu. Mas Liana não é mais a mesma, está foragida da polícia.
George, por acreditar nela, acaba ajudando, mas o que ele não sabe é que essa ajuda pode lhe custar muito caro.
Na hora que eu escolhi esse livro, o que mais me chamou a atenção foi o fato de autor ter se formado em escrita criativa, educação e literatura. Nunca tinha lido livro nenhum que o autor se formou em escrita mesmo.
Mas pra mim no livro fiquei com a sensação de que vai ter continuação, ficou muito aberto o final da estória.
No geral, eu gostei bastante, é uma estória que você fica querendo saber o afinal vai acontecer com os personagens, torcendo pra que alguém se ferre depois de ter prejudicado os outros.
Vejo pouca gente falar desse livro, mas quem ver nas livrarias, pode pegar pra ler que vale a pena.

Resenha: Três Semanas com meu Irmão, Nicholas Sparks e Micah Sparks

capatressemanascommeuirmao

Título do livro: Três Semanas com meu Irmão
Autor: Nicholas Sparks e Micah Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 317
Gênero: Literatura estrangeira, história real.
Nota:

estrela

estrela

estrela

estrela

estrela

Onde comprar: Amazon

Sinopse:

Em janeiro de 2003, Nicholas Sparks e seu irmão mais velho, Micah, partiram numa viagem de três semanas ao redor do mundo. Das ruínas da Guatemala aos passeios de trenó na Noruega, passando pelo Taj Mahal, na Índia, e pelos templos do Camboja, os dois mergulharam numa jornada que fortaleceria os laços dos únicos sobreviventes da família Sparks.

Com prazos apertados para publicar seus livros e sem muita inspiração para escrevê-los, Nicholas pensou que aquela seria uma ótima oportunidade para relaxar e se aproximar mais do irmão, a quem quase não via por conta da distância que os separava.

O relato inclui não só o dia a dia de Nicholas e Micah nessa aventura exótica como também a emocionante história do bem-sucedido autor de romances.

Permeado de fotografias, o livro resgata as lembranças da infância – as dificuldades financeiras, os sonhos de que a mãe teve que abdicar para criar os três filhos e o método dela para mantê-los unidos – e da vida adulta – as primeiras namoradas, o inícios da própria família e as tragédias que testaram sua fé. Também inclui os acontecimentos que levaram a publicação do primeiro best-seller de Nicholas.

Com humor e sensibilidade, os irmãos Sparks abrem sua vida, revelam suas origens e compartilham verdades surpreendentes sobre perda, amor e esperança.

Resenha:

Esse livro é diferente de todos os livros que Nicholas Sparks já escreveu, porque nesse ele é protogonista da história.

Para quem não sabe, Nicholas Sparks é meu autor favorito, apesar de essa ser a primeira resenha dele aqui no blog, antes de criar o blog já tinha lido quase todos os livros dele, agora com esse são 10 livros lidos do Nicholas Sparks. Foi o Nicholas Sparks que me trouxe para o mundo dos livros.

E esse é um livro pra quem é fã realmente, porque Nicholas conta toda a sua história de vida, todos os altos e baixos.

Nicholas nem sempre foi um escritor, e nem sempre esse foi um sonho de vida dele. Antes de ser escritor ele tinha um sonho de ser corredor. Porém por causa de uma lesão, ele teve que procurar outra coisa pra fazer.

Por incrível que pareça, ele é fã de filmes e livros de terror, seu autor favorito é ninguém menos que, Stepheng King. Ele até tentou ser autor de terror, mas não deu muito certo.

Esse livro só me fez ficar ainda mais fã de Nicholas Sparks, quem gosta de ler os livros dele, por favor leiam esse livro também, tenho certeza que vão se apaixonar ainda mais por ele.

Adaptações literárias nos cinemas para 2018

Você já leu alguns desses livros? Então se prepara que agora você vai ver nas telonas do cinema também.

Conforme forem anunciando os lançamentos, vou atualizando esse post pra vocês.

 

01 – O Touro Ferdinando de Munro Leaf e Robert Lawson (11/01)

capaotouroferdinando

Dirigido por Carlos Saldanha, um dos maiores clássicos da literatura infantil.

Com mais de 80 anos de vida, o simpático Ferdinando continua em boa forma. Sua história não envelheceu um dia sequer, ainda hoje conquistando corações e inspirando o respeito pelas diferenças.

Publicado originalmente em 1938, O Touro Ferdinando marcou gerações no mundo todo, tendo sido traduzido para mais de 60 idiomas. Com uma narrativa singela, uma união perfeita entre as ilustrações e o texto de humor delicado, o livro conta a história de um touro que, apesar de seu tamanho e sua força, não tem interesse em lutar nas touradas. Tudo que ele quer é cheirar as flores e ficar quietinho no seu canto, mas às vezes o mundo à nossa volta não compreende aqueles que são diferentes da maioria.

Com um personagem encantador e ilustrações impecáveis, a obra traz uma mensagem universal e atemporal e certamente será amada também pelo público brasileiro.

Sobre os autores:

Munro Leaf e Robert Lawson eram amigos, ambos autores e ilustradores. Por conta da repercussão de O touro Ferdinando, Leaf fez algumas turnês mundiais a convite do governo americano, distribuindo a mensagem de paz a crianças, educadores e bibliotecários. Publicou cerca de quarenta livros em quatro décadas de carreira. Lawson também teve longa e bem-sucedida vida profissional, tornando-se o primeiro autor – e até hoje um dos poucos – a receber tanto a Caldecott quanto a Newbery Medal, dois dos maiores prêmios literários americanos.

posterdofilmeferdinando

 

02 – Me Chame Pelo Seu Nome de André Aciman (18/01)

capamechamepeloseunomeLivro que inspirou o filme dirigido por Luca Guadagnino, aclamado nos festivais de Berlim, Toronto, do Rio, no Sundance e um dos principais candidatos ao Oscar de 2018.

A casa onde Elio passa os verões é um verdadeiro paraíso na costa italiana, parada certa de amigos, vizinhos, artistas e intelectuais de todos os lugares. Filho de um importante professor universitário, o jovem está bastante acostumado à rotina de, a cada verão, hospedar por seis semanas na villa da família um novo escritor que, em troca da boa acolhida, ajuda seu pai com correspondências e papeladas. Uma cobiçada residência literária que já atraiu muitos nomes, mas nenhum deles como Oliver.

Elio imediatamente, e sem perceber, se encanta pelo americano de vinte e quatro anos, espontâneo e atraente, que aproveita a temporada para trabalhar em seu manuscrito sobre Heráclito e, sobretudo, desfrutar do verão mediterrâneo. Da antipatia impaciente que parece atravessar o convívio inicial dos dois surge uma paixão que só aumenta à medida que o instável e desconhecido terreno que os separa vai sendo vencido. Uma experiência inesquecível, que os marcará para o resto da vida.

Com rara sensibilidade, André Aciman constrói uma viva e sincera elegia à paixão, em um romance no qual se reconhecem as mais delicadas e brutais emoções da juventude. Uma narrativa magnética, inquieta e profundamente tocante.

Sobre o autor:

André Aciman nasceu em Alexandria, Egito. É ensaísta, romancista e pesquisador da literatura do século XVII. Seus textos foram publicados em veículos de destaque, como The New Yorker, The New York Times e The Paris Review. Doutor em literatura comparada pela Universidade Harvard, foi professor na Universidade de Princeton e atualmente leciona no The Graduate Center em Nova York, Estados Unidos, onde vive com a família.

posterdofilmemechamepeloseunome

 

03 – Maze Runner (A Cura Mortal) #3 de James Dashner (25/01)

capamazerunneracuramortal3

Por trás de uma possibilidade de cura para o Fulgor, Thomas irá descobrir um plano maior, elaborado pelo Cruel, que poderá trazer consequências desastrosas para a humanidade.

Ele decide, então, entregar-se ao Experimento final. A organização garante que não há mais nada para esconder. Mas será possível acreditar no Cruel? Talvez a verdade seja ainda mais terrível, uma solução mortal, sem retorno.

Sobre o autor:

James Dashner nasceu na Georgia, Estados Unidos. Atualmente, mora em Utah com sua esposa e seus quatro filhos.
Depois de estudar na Universidade Brigham Young, trabalhou durante vários anos no mercado financeiro até publicar sua primeira série de romances, a saga de Jimmy Fincher. Desde então, dedica-se com exclusividade a escrita. É autor das séries A doutrina da morte e Maze Runner, best-seller do New York Times já rendeu duas adaptações para o cinema produzidas pela Twentieth Century Fox, com uma terceira em produção e prevista para 2018.
O autor pretende expandir o universo da série com seu novo livro, The Fever Code, e explicar melhor eventos que acontecem durante o fim do mundo, como a Purgação, a criação do Labirinto e o surgimento do Fulgor.

posterdofilmemazerunneracuramortal

 

04 – Sem Fôlego de Brian Selznick (25/01)

capasemfolegoA história de duas crianças distanciadas por meio século se entrelaçam em fascinante simetria: uma em palavras, outra em imagens.

Em silêncio, o menino sofre com a ausência do pai, e a menina acompanha de longe a carreira da mãe famosa. Ambos sonham com uma vida diferente, até o dia em que decidem fugir de casa e aventurar-se numa busca desesperada por aquilo de que mais sentem falta. Um livro de tirar o fôlego, que surpreende o leitor com uma trama cinematográfica sobre temas aparentemente díspares como os gabinetes de curiosidade e a criação do cinema falado.

Sobre o autor:

Brian Selznick é um autor e ilustrador de livros infantis, vencedor da Medalha Caldecott, nascido em 14 de Julho de 1966 em East Brunswick Township, Nova Jersey.
Ele se graduou na Escola de Design Rhode Island e trabalho por três anos no Eeyore’s Books for Children, em Manhattan, enquanto trabalhava no seu primeiro livro, The Houdini Box.

posterdofilmesemfolego

 

05 – 50 Tons Mais Escuros #2 de E. L. James (09/02)

capa50tonsmaisescurosIncomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey, Anastasia decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. O desejo, porém, fala mais alto e ela logo volta aos jogos sexuais do conturbado empresário.

 

 

 

 

Sobre a autora:

Erika Leonard James, melhor conhecida pelo pseudônimo E.L. James, é uma escritora britânica, autora do bestseller erótico Cinquenta Tons de Cinza ou As Cinquenta Sombras de Grey.

posterdofilme50tonsmaisescuros

 

06 – O Que Te Faz Mais Forte de Jeff Bauman e Bret Witter (15/02)

capaoquetefazmaisforte

A história do principal sobrevivente do atentado à Maratona de Boston 2013.

Em 16 de abril de 2013, Jeff Bauman acordou no Centro Médico de Boston, atordoado após uma série de cirurgias de emergência e sem as duas pernas. Apenas trinta horas antes, Jeff estava na linha de chegada da Maratona de Boston, para incentivar sua namorada, Erin, quando a primeira bomba explodiu junto a seus pés. Ao acordar, em vez de parar e pensar em como sua vida se alterara completamente, ele tentou arrancar o tubo de oxigênio para falar, mas não conseguiu. Então, escreveu sete palavras: “Vi o cara. Olhou bem pra mim”, dando início a uma das maiores caçadas humanas da história dos Estados Unidos e começando sua própria jornada de recuperação.

Em O que te faz mais forte, Jeff Bauman descreve o caos e o terror do atentado em si e a investigação do FBI que se seguiu, na qual atuou como testemunha-chave. Ele nos convida a acompanhar sua exaustiva reabilitação e narra os desafios e as alegrias que encontrou na tentativa de reconstruir sua vida. Jeff também nos fala da bravura dos outros sobreviventes do atentado. Corajosa, compassiva e envolvente, a história de Jeff Bauman não é só dele, mas de todos nós. Ela prova que as adversidades, por piores que sejam, podem nos tornar mais fortes.

Sobre os autores:

Jeff Bauman é um autor americano. Ele perdeu as pernas durante o ataque de bombardeio da Maratona de Boston de abri de 2013 e foi objeto de uma tomografia famosa tirada no rescaldo do bombardeio.
Bauman nasceu em 2 de janeiro de 1986 e é filho de Patty e Jeff Bauman Sr. Bauman tornou-se noivo de sua noiva Erin Hurley em fevereiro de 2014 e se casaram em novembro de 2014. Sua primeira filha, Nora Gail Bauman, nasceu em julho de 2014 . Eles anunciaram que estavam se divorciando em fevereiro de 2017, embora os dois permaneçam amigos e estejam coparindo sua filha.
Trabalhou no balcão de carpetes em Costco por três anos antes do bombardeio; ele voltou ao trabalho um ano depois da explosão em junho de 2014.

Bret Witter é um co-autor profissional, principalmente de livros de não-ficção. Ele escreveu sete best-sellers do New York Times desde que se tornou um escritor em tempo integral em 2007 (mais um não credenciado em 2003). Seus livros venderam mais de 2,5 milhões de cópias em todo o mundo e passaram quase dois anos na lista de best-sellers do New York Times. Ele mora em Decatur, na Geórgia.

posterdofilmeoquetefazmaisforte

 

07 – Mudbound: Lágrimas sobre o Mississipi de Hillary Jordan (15/02)

capamudboundlagrimassobreomississippiUm amor proibido, uma traição terrível, uma agressão selvagem. Um romance de força impressionante, que nos faz mergulhar nas contradições do Mississippi pós-Segunda Guerra Mundial.

Ao descobrir que o marido, Henry, acaba de comprar uma fazenda de algodão no Sul dos Estados Unidos, Laura McAllan, uma típica mulher da cidade, compreende que nunca mais será feliz. Apesar disso, ela se esforça para criar as filhas num lugar inóspito, sob os olhos vigilantes e cruéis de seu sogro.

Enquanto os McAllans lutam para fazer prosperar uma terra infértil, dois bravos e condecorados soldados retornam do front e alteram para sempre a dinâmica não só da fazenda, mas da própria cidade. Jamie, o jovem e sedutor irmão de Henry, faz Laura de repente renascer para a vida, enquanto Ronsel, filho dos arrendatários negros que trabalham para Henry, demonstra uma altivez que não será aceita facilmente pelos brancos da região.

De fato, quando os jovens ex-combatentes se tornam amigos, sua improvável relação desperta sentimentos violentos nos habitantes e uma nova e impiedosa batalha tem início na vida de todos.

Alternando a narrativa entre vários pontos de vista, este premiado romance oferece ao leitor diferentes versões dos acontecimentos. Os personagens, lutando por sentimentos de amor e honra num lugar e época brutais, se veem dentro de uma tragédia de enormes proporções e encontram redenção onde menos esperam.

Sobre a autora:

Hillary Jordan foi criada em Dallas, Texas, e Muskogee, Oklahoma. Atualmente vive em Nova York. Mudbound – Lágrimas sobre o Mississippi, seu romance de estreia, recebeu o Prêmio Bellwether de ficção em 2006 e o Alex Award, da American Library Association. Foi eleito Livro de Ficção do ano pela NAIBA (New Atlantic Independent Booksellers Association) e um dos 10 Melhores Romances de Estreia da década pela revista Paste.

 

08 – Roleta Russa de Jason Matthews, adaptado pro cinema como Operação Red Sparrow (02/03)

caparoletarussaDesde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo.

Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem.

Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR.

Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

Sobre o autor:

Jason é um oficial da CIA aposentado do setor de Operações Direcionadas, agora conhecido como Serviço Nacional Clandestino. Por 33 anos de carreira ele serviu em múltiplos lugares através do mundo, engajado em uma coleção de operações de segurança e inteligência secretas, especializado em áreas de operações proibidas. Matthews conduziu o recrutamento para operações contra o leste europeu soviético, leste da Ásia e Oriente-Médio junto com alvos caribenhos como chefe de várias estações da CIA, dirigiu projetos e ações infiltradas como o de Armas de Destruição em Massa, e colaborou com agentes de ligação estrangeiros no programa de contraterrorismo. Ele vive no sudeste da Califórnia.

posterdofilmeoperaçãoredsparrow

 

09 – Uma Dobra no Tempo de Madeleine L’Engle (09/03)

capaumadobranotempo

Um clássico da fantasia e da ficção científica emerge!

Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar.

“Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim.”

O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente… Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço.
Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados.

Sobre a autora:

Madeleine L’Engle (November 29, 1918 – September 6, 2007) foi uma escritora americana conhecida pela obra infantojuvenil “Uma dobra no Tempo”, vencedor do prêmio Newbery Medal e suas sequências “Um vento à porta”, A Wind in the Door, A Swiftly Tilting Planet, Many Waters, and An Acceptable Time. Seus trabalhos refletem seu forte interesse em ciência moderna. Tesserato, por exemplo, no livro “Uma dobra no Tempo”, DNA mitocondrial em “Um vento à porta”, e regeneração de órgãos in The Arm of the Starfish (ainda inédito no Brasil).

posterdofilmeumadobranotempo

 

10 – As Aventuras de Pedro Coelho de Beatrix Potter, adaptado como Pedro Coelho (22/03)

capaasaventurasdepedrocoelhoTem coelho neste mato!

Quem nunca ouviu falar de Pedro Coelho — o dentuço mais famoso, e levado!, do mundo — e de Beatrix Potter, que escreveu e ilustrou as suas aventuras há mais de cem anos? Com milhares de fãs nos mais diversos países, esses dois já viraram desenho animado, filme, e continuam encantando crianças e adultos.
Em As aventuras de Pedro Coelho os leitores vão conhecer as quatro principais histórias da série — “A história de Pedro Coelho” (o primeiro texto infantil de Beatrix Potter), “A história do coelho Benjamin”, “A história dos coelhinhos Flocos” e “A história do sr. Raposão”. Acompanhadas dos desenhos originais, elas falam sobre as malandragens e apuros do coelhinho, em um texto divertido e charmoso.

Sobre a autora:

Helen Beatrix Potter (28 de julho de 1866 — 22 de dezembro de 1943) foi uma grande escritora, ilustradora, micologista e conservacionista inglesa, célebre por seus livros infantis de grande originalidade e valor intemporal. Sua obra mais famosa é A História do Pedro Coelho, um relato das travessuras do Peter Rabbit na horta do Seu Gregório.

posterdofilmepedrocoelho

 

11 – Simon vs. a Agenda Homo Sapiens de Becky Albertalli, adaptado como Love, Simon (22/03)

capasimonvsaagendahomosapiens

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.

Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.

Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.

Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.

Sobre a autora:

Becky Albertalli é psicóloga, o que lhe proporcionou o privilégio de trabalhar com muitos adolescentes inteligentes, estranhos e irresistíveis, e por sete anos foi orientadora de um grupo de apoio em Washington para crianças com não conformidade de gênero. Mora em Atlanta com o marido e os dois filhos. Simon vs. a agenda Homo Sapiens é seu primeiro livro.

posterdofilmelovesimon

 

12 – Jogador Nº 1 de Ernest Cline (29/03)

capajogadorn1

Cinco estranhos e uma coisa em comum: a caça ao tesouro.

Achar as pistas nesta guerra definirá o destino da humanidade. Em um futuro não muito distante, as pessoas abriram mão da vida real para viver em uma plataforma chamada Oasis. Neste mundo distópico, pistas são deixadas pelo criador do programa e quem achá-las herdará toda a sua fortuna. Como a maior parte da humanidade, o jovem Wade Watts escapa de sua miséria em Oasis. Mas ter achado a primeira pista para o tesouro deixou sua vida bastante complicada. De repente, parece que o mundo inteiro acompanha seus passos, e outros competidores se juntam à caçada. Só ele sabe onde encontrar as outras pistas: filmes, séries e músicas de uma época que o mundo era um bom lugar para viver. Para Wade, o que resta é vencer – pois esta é a única chance de sobrevivência.

Sobre o autor:

Ernest Cline já trabalhou como cozinheiro, peixeiro, doador de sangue, atendente de locadoras de vídeo elitista e auxiliar de suporte técnico. Mas sua principal ocupação sempre foi ser geek, e ele acabou deixando de lado essas promissoras carreiras para expressar em tempo integral seu amor pela cultura pop, trabalhando como versista e roteirista. Para sua surpresa, o filme Fanboys, baseado em um de seus roteiros, tornou-se um fenômeno cult. Atualmente, Ernie vive em Austin, no Texas, com sua esposa, sua filha e uma grande coleção de clássicos de videogame.

posterdofilmejogadorn1

 

13 – Berenice Procura de Luiz Alfredo Garcia-Roza (12/04)

capabereniceprocuraUm menino de dois anos, filho de diplomata, brinca na praia de Copacabana sob os olhos vigilantes da babá. Ele tem uma das mãos ocupada com uma pá, que carrega com orgulho, e a outra entretida em recolher objetos do chão. Quando avista um morrote de areia, resolve pôr o utensílio de plástico em ação e começa a cavar. Até que encontra um corpo. Esse seria mais um caso para o inspetor Espinosa – se Luiz Alfredo Garcia-Roza não tivesse decidido dar um descanso ao personagem de seus cinco romances anteriores. No lugar dele, o autor apresenta Berenice, uma taxista de 34 anos, também carioca, que corre todas as manhãs para agüentar o tranco de mais de dez horas diárias de trabalho. Berenice mora com a mãe e o filho; seu ex-marido, Domingos, faz visitas regulares aos três. Mais regulares do que Berenice gostaria, aliás. Domingos é jornalista free-lancer. Colabora com alguns jornais, repassando notícias que recolhe em hospitais e delegacias. Graças a essas conexões, e numa tentativa de se reaproximar da ex-mulher, vira seu informante sobre o assassinato do travesti Valéria – enterrado nas areias de Copacabana e encontrado pelo pequeno estrangeiro com sua pá. O ponto de Berenice fica bem próximo da cena do crime, e quando ela chega para trabalhar, naquela manhã quente de segunda-feira, fica sabendo do assassinato ocorrido na noite anterior. Pouco depois, durante a primeira corrida, a conversa com o passageiro gira em torno do crime – cena que se repetirá diversas vezes no táxi de Berenice, agora muito interessada no caso. Graças às informações recolhidas por Domingos, Berenice chega a Russo, um sem-teto que estava na praia no momento do assassinato. Russo passa as noites num túnel abandonado do metrô e conhece como ninguém as galerias subterrâneas do Rio de Janeiro.

Sobre o autor: 

Luiz Alfredo Garcia-Roza nasceu em 1936, no Rio de Janeiro. Formado em filosofia e psicologia, é autor de vários livros nessas áreas. Renomado autor de ficção policial, criou o delegado Espinosa. Seu romance de estréia, O Slilêncio da Chuva, recebeu os prêmios Nestlé e Jabuti em 1997.
É autor de O Silêncio da Chuva (1996), Achados e Perdidos (1998), Vento Sudoeste (1999), Uma Janela em Copacabana (2001), Perseguido (2003), Berenice Procura (2005), Espinosa Sem Saída (2006), Na Multidão (2007) e Céu de Origami (2009).

posterdofilmebereniceprocura

 

14 – Submersão de J. M. Ledgard (12/04)

capasubmersãoNa costa da África, em um banheiro sem janelas, o inglês James More é mantido como refém por combatentes jihadistas. Fingindo ser um engenheiro hidráulico para reportar informações sobre as atividades da al Qaeda na região, ele enfrenta privações extremas, torturas e caminhadas forçadas por terras ermas da Somália. A milhares de quilômetros, no mar da Groenlândia, a biomatemática Danielle Flinders se prepara para descer com um submergível até o solo oceânico. Ela é obcecada pelas formas de vida que se multiplicam nos cantos mais obscuros e profundos do oceano. Ambos são atraídos pelas lembranças do Natal do ano anterior, para um hotel na costa do Atlântico, um encontro ao acaso na praia que resultou em um intenso romance. No cativeiro, a mente de James o leva para aquela semana na França e para o mundo utópico de Nova Atlântida, de Francis Bacon. Já os pensamentos de Danny, enquanto se prepara para submergir mais uma vez, são transportados também ao começo de tudo — ao início da vida segundo os mitos e a ciência, à sua própria origem. E é sempre um para o outro que suas mentes retornam — e para o oceano: um magnetismo poderoso, um ambiente pacífico e ao mesmo tempo ameaçador.

Obs.: Não achei nada sobre o autor desse livro.

posterdofilmesubmersão

15 – O Paciente: O Caso Tancredo Neves de Luís Mir (14/06)

capaopacienteocasotancredoneves

Tancredo Neves poderia ter tomado posse na Presidência da República no dia 15 de março de 1985.

Quem diz isso é o cirurgião Henrique Walter Pinotti, que participou de três das quatro operações do
Presidente.

O primeiro civil eleito depois de 21 anos de ditadura militar, principal negociador da abertura democrática do país, aceitou ser internado na véspera da posse para tratar de antigas dores abdominais que voltaram a atormentá-lo. Levado ao Centro Cirúrgico do HDB, em Brasília, transforma-se (em apenas 48 horas) em paciente de risco e morre em menos de um mês, após uma sequência de quebras de conduta, equívocos clínicos, procedimentos inadequados e discordâncias entre os médicos. O que deveria ter sido a grande festa da democracia brasileira converteu-se em pesadelo de inesperadas
proporções.

No centenário do nascimento de Tancredo Neves, passados 25 anos de sua morte, já estão dadas as condições para que sua história médica seja revelada.

Com reprodução dos prontuários dos hospitais de Brasília e de São Paulo, O PACIENTE apresenta um roteiro cirúrgico em cores para melhor compreensão das cirurgias e traz declarações dos especialistas envolvidos, revelando os bastidores do caso clínico que alterou os rumos da democracia brasileira e abalou a reputação da medicina do país.

Sobre o autor:

Luís Mir, (Espanha, 1958) é um pesquisador médico, historiador e escritor brasileiro. Foi para o Brasil com alguns meses de idade. É autor de obras consideradas referência da história brasileira contemporânea, como a Revolução Impossível e Guerra Civil – Estado e Trauma. Em 2005 recebeu o Prêmio Jabuti – 1º lugar – em Ciências da Saúde.

16 – Mentes Sombrias de Alexandra Bracken (13/09)

capamentessombriasQuando completa 10 anos, a garota Ruby vê sua vida mudar completamente. Além do medo de ser vítima de um vírus fatal que ataca apenas as crianças, ela é rejeitada por seus pais, que a entregam para a polícia especial. Seu destino é Thurmond, um campo de reabilitação criado pelo governo norte-americano para cuidar dessa geração que possui algo diferente e ameaçador: são crianças com habilidades especiais. Elas podem controlar pessoas e objetos só com o poder da mente. Consideradas perigosas, vivem à margem da sociedade. Mas, aos 16 anos, Ruby consegue escapar de Thurmond e muda o seu destino, ao lado de novos amigos, fugitivos como ela: Liam, Zu e Bolota. Juntos, os quatro vivem as mesmas dúvidas, medos e inseguranças. Enquanto enfrentam uma realidade assustadora, fugindo de caçadores de recompensa, da polícia e da Liga das Crianças, uma organização que quer se aproveitar dessas habilidades infantis, eles tentam encontrar o Fugitivo, um líder misterioso que oferece abrigo e ajuda às crianças. E percebem que, apesar de tudo, ainda conseguem sonhar.

Sobre a autora:

Alexandra Bracken escreveu Brightly Woven como um presente de aniversário para um amigo, e a história cresceu e floresceu durante um ano de clima imprevisível e selvagem. Originária do Arizona, é formada recentemente no Colégio de William e Mary, onde se especializou em História e Inglês. Ela agora mora na cidade de Nova York.

Obs: Ainda não tem pôster do filme divulgado.

17 – Marighella de Mário Magalhães (20/09)

capamarighellaNesta obra o autor busca percorrer a vida, a obra e a militância de Marighella, baiano que foi deputado federal, poeta e estrategista da guerrilha no Brasil. Passagens pela prisão, resistência à tortura, assaltos a bancos (e a um trem pagador), tiroteios e espionagem internacional fazem parte de sua biografia, que atravessa a história política entre as décadas de 1930 e 1960. Por isso, figuras como Fidel Castro, Getúlio Vargas, Carlos Lamarca, João Goulart, Che Guevara, Luiz Carlos Prestes, Carlos Lacerda e Olga Benario aparecem como coadjuvantes.

 

Sobre o autor:

Nasceu no Rio de Janeiro, em abril de 1964. Formou-se em jornalismo na Escola de Comunicação da UFRJ. Trabalhou nos jornais Tribuna da ImprensaO GloboO Estado de S. Paulo e Folha de S.Paulo, no qual foi repórter especial, colunista e ombudsman. Recebeu cerca de vinte prêmios e menções honrosas no Brasil e no exterior, entre os quais o Every Human Has Rights Media Awards, o Prêmio Vladimir Herzog, o Prêmio Dom Hélder Câmara e o Prêmio Esso de Jornalismo.

Obs: Ainda não tem pôster do filme divulgado.

 

Resenha: Anjo Maldito #1, Daniel Marx

capaanjomaldito

Título do livro: Anjo Maldito #1
Trilogia: Viagens na Ficção
Autor: Daniel Marx
Editora: Chiado Editora
Páginas: 332
Gênero: Literatura nacional, ficção policial, fantasia, terror
Nota:

estrela

estrela

estrela

estrela

estrelavazia

Sinopse:

“E disse Deus, haja luz, e houve luz, e viu Deus que tudo que havia feito era bom.
E fez o homem e viu que não era bom que o homem vivesse só, e fez para si uma companheira, carne de sua carne e seu nome era Eva…”

A história, porém não foi bem assim, pois Eva não foi a primeira esposa de Adão, a história que os religiosos sempre procuraram omitir da humanidade está a ponto de vir a tona.

Lilith a primeira humana criada por Deus, mas não da carne de Adão, se revolta e não se submete ao homem e nem ao seu criador, é expulsa do paraíso e promete vingança, foi até o submundo e fez um pacto com o príncipe do inferno, e após milhares de anos ela está pronta para reivindicar o que diz ser seu por direito. Lilith se intitula a rainha do mundo e considera todos os homens seus lacaios, e todas as mulheres suas escravas.

Um portal está prestes a se abrir e o mundo nunca mais será o mesmo, grandes sinais começam a aparecer em todo o mundo e não seria diferente no Brasil.

Uma sociedade secreta trabalha para abrir o caminho entre o mundo paralelo e o nosso. São portadores de grandes segredos: uma estrela, cinco pontas, cinco almas, cinco templos, cinco religiões, cinco mortes. Para que essas mortes aconteçam, e se cumpra a profecia, muitas outras vidas serão perdidas.

Outra mulher com um dom especial trabalhará para evitar que o mundo pereça na escuridão. Elisabeth, uma detetive do departamento de polícia civil de São Paulo empenha todos os seus esforços para deter os assassinatos, porém não imagina o que está por vir, ela pensou que estava a procura de mais um assassino serial, quando na verdade estava diante de um grande e maligno poder obscuro e caberá a ela deter este ser que está prestes a escravizar a humanidade.

Resenha:

Trago para vocês hoje, um livro diferente, pelo menos diferente pra mim, pois nunca tinha lido nada igual.

Anjo Maldito, é o primeiro volume da Trilogia Viagens na Ficção. Trata-se de uma fantasia, misturada com ficção policial, com terror, suspense, mistério e com serial killer.

Só com esses gêneros vocês já podem o quão tenso é esse livro né?

A história se passa na cidade de São Paulo, com um grupo de policiais tendo investigar um mistério envolvendo mortes de pessoas em igrejas.

É tão assustador essas mortes, o autor detalha tão bem as cenas, que você consegue imaginar as cenas, entrar na história mesmo e, chega a dar medo, você termina de ler o livro com uma tensão que só quem ler ou quem leu pode falar.

Para quem gosta de uma ficção policial, uma boa fantasia, um bom terror, eu indico muito. Porque se eu que não tenho costume de ler esse gênero de livro gostei, é porque é bom mesmo.

Resenha: Eleanor & Park, Rainbow Rowell

capaeleanorepark

Título do livro: Eleanor & Park
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Páginas: 328
Gênero: Literatura estrangeira, Infanto-juvenil, Ficção, Romance e Drama
Nota: estrelaestrelaestrelaestrelaestrela

Sinopse:

Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Resenha:

Como fazer uma resenha, sendo que a própria sinopse já diz praticamente tudo o que você queria falar sobre o livro?
Então, vou falar sobre o que eu achei do livro sem explicar sobre ele.
Park é um menino mestiço que podemos considerar um playboizinho, que tem praticamente tudo o que quer.
Eleanor já é aquele tipo de menina que não é igual ao Park em nada. Família toda errada, ela tem um estilo que é só dela, considerada gordinha pela sociedade e ruiva.
No começo Park estranhou muito Eleanor, mas depois que eles foram conversando e Park foi conhecendo mais de Eleanor, eles foram se gostando no limite que tinham.
Eu fiquei irritada com as atitudes da mãe em aceitar um cara como o padrasto o deles, deixar fazer o que ele fazia com ela e seus filhos, principalmente com Eleanor.
A família de Park já é mais “normal”, ele ainda não tinha os pais separados, o único de sua turma que ainda tinha a família completa.
Mas achei bem legal a autora ter colocado como protogonista da história um casal diferente do que é colocado nos livros, nesse ela um mestiço com uma menina que não está nos padrões de beleza em nenhum sentido, e ruiva. Pelo menos eu, nunca tinha lido com esse tipo de personagem.
Em vários momentos quis pegar Eleanor e abraçar, porque além de ela sofrer em casa com o padrastro, ela sofria bullying na escola também e, achei bem pesado os bullying’s.
Mas também não gostei nada do que Eleanor fez com Park no final, achei muito injusto da parte dela, porém sobre isso não posso entrar em detalhes, porque senão solto um mega spoiler.
É uma história realmente envolvente, acredito que quem leu teve as mesmas sensações que eu.
Livros que falam sobre bullying, acho que deveria ser incluído nos livros obrigatórios das escolas, porque ajuda as crianças e adolescentes a pensaram sobre o que fazem com os outros.
Quem já leu esse livro, me conta aí o que achou, se também teve as mesmas impressões quanto as atitudes da mãe de Eleanor.

01. Diego Martello – Uma Vez Você, Uma Vez Eu
02. Rainbow Rowell – Eleanor & Park
03. Daniel Marx – Anjo Maldito #1
04. Nicholas Sparks e Micah Sparks – Três Semanas com meu Irmão
05. Peter Swanson – A Desconhecida
06. Any Palin – Arco-íris de Nove Cores
07. João Guimarães Rosa – Sagarana

Resenha: Uma Vez Você, Uma Vez Eu, Diego Martello

 

Título do livro: Uma Vez Você, Uma Vez Eu
Autor: Diego Martello
Editora: Novo Século
Páginas: 184
Gênero: Literatura brasileira, ficção brasileira, ficção
Nota: 

 

 

Sinopse:

Marcos e Willian, pai e filho, tentam se reconciliar após anos de desentendimento. Em paralelo, Eva, mulher de Willian, quer a todo custo engravidar e não consegue, o que frustra o casal.
A partir da visão do interior de cada um, esses personagens terão de reconfigurar o modo de pensar para enfrentar os seus conflitos.
Nessa fase tão conturbada para todos, reflexões acompanham cada segundo da trajetória deles.
Narrada de forma surpreendente, provocativa e crítica, esta obra não tem a pretensão de apresentar soluções para os problemas enfrentados, mas, sim, mostrar as armadilhas de nosso fluxo de consciência, para compreendermos que as soluções dos problemas dependem, muitas vezes, da forma como se lida com as ilusões, ou, ao contrário, como se enxerga verdadeiramente a realidade.

Resenha:

Willian é aquele tipo de pessoa que podemos chamar de mimado, não por ter tudo de forma material e sim por sempre ter segurança somente quando os pais estão por perto. Aquele tipo de pessoa que vive apenas por viver, não tem um objetivo de vida.

Marcos já é o tipo de pessoa que a partir de um ensinamento de um chefe, acabou entendendo que para viver necessitamos de um objetivo de vida, senão estamos aqui inutilmente. Também dono da D&D.

No passado Willian e Marcos enfrentaram desentendimentos pesados na frente de muitas pessoas que trabalhavam com eles. Com isso carregaram esse “problema” por muitos, atrapalhando a relação de pai e filho.

Uma Vez Você, Uma Vez Eu“, é um livro rápido de ler, mas muito reflexivo.

Tem 184 páginas, mas pensa em uma pessoa que quase marcou o livro todo com as quotes que mais gostou, tem mais de 20 marcações.

Como é um livro bem reflexivo, pra você enfrentar seus medos, entre outras reflexões, pra começar o ano de 2018 foi uma ótima escolha.

Tenho certeza que muitas pessoas vão gostar dele.

Resenha: Meu Casulo e Eu, Maria Isabel Silva

Título do livro: Meu Casulo e Eu
Autora: Maria Isabel Silva
Editora: Clube dos Autores
Páginas: 163
Gênero: Literatura brasileira, memórias, crônicas
Nota: 

 

 

Sinopse:

Muitas vezes apenas momentos dentro do casulo nos permitem entender a vida…
E continuá-la, buscando melhores formas de versões…
Para fazer valer, o processo de transformação precisa nos causar tudo… sobretudo, encantamento.
Na saída do casulo, muito se pode esperar… Por vezes, borboletas reluzem brilhos em suas asas e noutras, suas cores acinzentadas as fazem ser bruxas…
Para uma ou outra, as transformações continuam…

Resenha:

Meu Casulo e Eu é um livro de crônicas. Pelo que eu percebi as crônicas intercalam em masculino e feminino.

Pensa em uma pessoa que grifou quase o livro todo, sério gente…

É aquele tipo de livro, que em várias partes você se identifica com o que a autora está escrevendo. É também um livro fininho, que você lê em no máximo 2 dias.

Acredito que desse gênero é o segundo livro que eu leio, o outro foi Feliz Por Nada da Martha Medeiros.

Para quem gosta de crônicas, mais um livro para a sua lista de desejados.